I PampaCult é contemplado em edital do Pró-Cultura RS

O projeto I PampaCult foi contemplado no valor de R$ 140.000,00 reais no Fundo de Apoio à Cultura – FAC/RS edital SEDAC 3/2016 – FAC/Regional da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul.

O projeto é uma ação que procura envolver as artes integradas como forma de interlocução e transversalidade da cultura afim de potencializar segmentos artísticos como a música, artes visuais e humanidades na região sul.

Tendo como objetivos, promover a primeira edição do PampaCult, que englobará a organização e realização do festival musical no Theatro Esperança, com músicos de expressão nacional e regional, como Luiz Marenco e músicos, locais potencializando o segmento artístico local.

Também haverá organização de mostras artísticas com artistas locais das cidades de Jaguarão, Arroio Grande e Pelotas de forma a promover a difusão e acesso aos bens culturais.

E por fim, será realizado seminário sobre estudos culturais e sociais que abordarão pesquisas e criações socioculturais, como também, a realização de workshops de capacitação sobre produção e gestão cultural nos municípios da região (Amaral Ferrador, Arroio Grande, Canguçu, Cerrito, Chuí, Herval, Jaguarão, Pedro Osório, Santa Vitória do Palmar e Santana da Boa Vista)

A partir disso será feito a edição de livro digital e a construção de website que abarcará todos os resultados do projeto.

O I PampaCult é uma proposta de execução do Instituto Conexão Sociocultural.

Link do resultado final: http://www.procultura.rs.gov.br/upl4086/1480680194doe_02_12_16_homologacao_resultado_final.pdf

Edital de Convocação – Assembleia Geral Extraordinária 02/2016

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Nº 02/2016

O INSTITUTO CONEXÃO SOCIOCULTURAL, associação sem fins econômicos, com sede na Rua Marechal Deodoro, 377, Centro, cidade de Jaguarão – RS – CEP: 96300-000, inscrita no CNPJ sob o nº 19.072.851/0001-78, vem por meio deste, convocar seus associados para se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, no dia cinco de novembro de dois mil e dezesseis às quatorze horas e em segunda convocação decorridos trinta minutos, conforme disposto no Estatuto Social da entidade. A Assembleia ocorrerá na Rua Conselheiro Diana, 650, Unipampa, no mesmo município e terá a seguinte ordem do dia:

1 – Reforma Estatutária;

2 – Criação de Filiais;

3 – Eleições Internas;

4 – Exclusão de Associados;

5 – Apreciação do relatório do Conselho Fiscal referente as contas dos anos de 2013, 2014 e 2015; e

6 – Informes Gerais.

Jaguarão, 23 de outubro de 2016.

Bruno César Alves Marcelino

Presidente

Conselho Administrativo

PDF

Inscrições Prorrogadas – XVIII Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire

As inscrições para a 18ª Edição do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire – “Fronteiras Freireanas: Diálogos e Trajetórias” que será realizado nos dias 20 e 21 de maio na cidade de Jaguarão/RS, foram prorrogadas até o dia 02 de maio.

Os interessados deverão acessar a página oficial do evento para saber maiores informações sobre os procedimentos das inscrições: http://eventos.unipampa.edu.br/leiturasdepaulofreire/inscricoes/

Banner Prorrogação

Instituto Conex realizará a III Semana da Diversidade Sexual de Jaguarão

O Instituto Conexão Sociocultural em parceria com a Prefeitura Municipal de Jaguarão, realizará entre os dias 16 e 22 de maio de 2016 a terceira edição da Semana da Diversidade Sexual de Jaguarão. Com a temática “UM GRITO NO SILÊNCIO” buscaremos contemplar a discussão acerca da dificuldade da aceitação da sociedade em relação a população LGBTT e de seu reconhecimento como sujeitos socioculturais ativos.

Com o intuito de popularizar as discussões iremos manter constantemente atuações nas escolas do município, para que a juventude e seus educadores estejam incluídos nas ações de formação político social e sexual disponibilizadas, tendo em vista que acreditamos na educação como forma e ferramenta de transformação social  e cultural. Neste contexto a proposta vem ao encontro da necessidade de criar atividades socioculturais que contemplem a diversidade cultural e sexual da população local e das pessoas que visitam Jaguarão.

Em breve maiores informações a cerca da programação do evento.

via GIPHY

Instituto Conex em nova sede!

Na última segunda-feira dia 15, o Instituto Conexão Sociocultural, firmou um Acordo de Cooperação com a associação Conselho Comunitário da Vila C – CCVC, recebendo as chaves do espaço onde já está sendo instalada a nova sede do Instituto Conex. O espaço foi cedido pelo CCVC para que a instituição tenha uma sede fixa no município de Foz do Iguaçu-PR.

A nova sede fica na Rua Vila Velha, 63, Vila “C” Velha, possuindo 3 salas amplas, que serão ocupadas com uma sala para a recepção, outra para a coordenação da organização e a última como uma estação de trabalho para os membros da equipe técnica.

Como contrapartida ao uso do espaço, o Instituto Conex, prestará apoio técnico ao CCVC, na gestão de projetos, assessoria administrativa e na captação de recursos. Com a nova sede, vai ser possível dar um melhor atendimento às demais organizações da sociedade civil, que estão passando por dificuldades e que não possuem uma equipe técnica qualificada, que poderá a vir receber o apoio técnico prestado pelo Instituto.

Interessados poderão obter maiores informações pelos seguintes contatos:

[email protected]

Rua Vila Velha, 63, Vila C Velha, Foz do Iguaçu/PR – Anexo ao Conselho Comunitário da Vila C

CEP: 85870-050

Atendimento: Segunda à Sexta das 09:30 às 11:00 e das 14:00 às 17:00

Telefones:

Fixo: (45) 3575-2119

WhatsApp: (53) 8456-7959 (Bruno Marcelino)

Celular: (45) 8422-9343 (Bruno Marcelino)

Instituto Conex marca presença no 1º EMiCult

Ontem sexta-feira (21), a integrante da Coordenação de Projetos Raicilane Santana representou o Instituto Conexão Sociocultural no 1º EMiCult – Encontro Missioneiro de Estudos Interdisciplinares em Cultura na cidade de São Borja.

 

Raicilane EMiCult

 

Na ocasião ela apresentou o trabalho denominado “Relato de Experiência das Atividades Desenvolvidas em Jaguarão pelo Instituto Conexão Sociocultural”, onde pode retratar de forma detalhada as ações realizadas por nossa instituição no município de Jaguarão.

Aproveitamos para agradecê-la pela importante apresentação!

Coordenador é empossado membro do CMPC de Jaguarão/RS

Prefeitura Municipal de Jaguarão

Prefeitura Municipal de Jaguarão

No dia 25 de maio, ocorreu no Gabinete do Prefeito do Município de Jaguarão/RS a posse da primeira composição do Conselho Municipal de Política Cultural, Bruno Marcelino coordenador executivo do Instituto Conexão Sociocultural foi empossado membro suplente do Conselho representando a setorial de Produtores Culturais.

O Conselho é composto por 14 membros efetivos e 14 suplentes, com composição paritária entre os indicados pelo Poder Público e os eleitos pela sociedade civil. Os membros da sociedade civil foram eleitos no dia 12 de maio, último dia da 3ª Conferência Municipal de Cultura, evento este que contou com grande participação popular.

Para Bruno Marcelino, fazer parte da primeira composição do CMPC é um ato de grande importância e de satisfação pessoal e profissional. “Fico muito feliz em ter a oportunidade de atuar de forma protagonizada na elaboração das políticas públicas voltadas para a área cultural e ajudar o município de Jaguarão ‘que já posso chamar de meu’ a conquistar cada vez mais avanços nas políticas culturais”.

O Conselho Municipal de Política Cultural é um órgão colegiado consultivo, deliberativo, normativo e fiscalizador,  e integra a estrutura da Secretaria de Cultura e Turismo e tem como principal atribuição, com base nas diretrizes da Conferência, elaborar, acompanhar a execução, e fiscalizar  e avaliar as políticas públicas da área cultural.

Confira os/as representantes eleitos/as pelos Fóruns Setoriais para o Conselho Municipal de Política Cultural:

Artes Visuais e Artesanato: Mariluci Kersten; Suplente: Nilza Oliveira

Audiovisual: Martha Hentschke;  Suplente: Joseana Silva de Souza

Cultura Afro-brasileira: Eunice Magali dos Santos Almeida; Suplente: Leandro Mateus Almeida Tavares

Dança, Música e Teatro: Silvania Affonso; Suplente: Otavio Augusto Gomes Lima

 Instituições Culturais Não-Governamentais: Magnum Patron Sória; Suplente: Amanda Silva Chagas

Produtores Culturais: Gabriel Medeiros Chati;  Suplente: Bruno Marcelino

Patrimônio Cultural: Carlos José de Azevedo Machado; Suplente: Carlos Caetano

 

 

Com informações: Portal da Prefeitura Municipal de Jaguarão.

CULTURA E EDUCAÇÃO

Site-http://www.culturaemercado.com.br/pontos-de-vista/cultura-e-educacao-2/

Um dos assuntos mais controversos (e menos discutidos) das políticas culturais é a relação intrínseca da cultura com a educação. Vivemos uma espécie de trauma pós-separatório, influenciado por um tratamento periférico nos tempos que o MEC (Ministério da Edução e Cultura) ainda incluía seu irmão mais pobre. Está na hora de superá-lo e avançar na discussão sobre a educação, propondo soluções para o grande problema estrutural do Brasil: formar a maioria jovem e prepará-la o novo país que desejamos construir.

Não há nada mais gritante do que o abismo e a falência do sistema educacional brasileiro. Embora consuma grande parte do orçamento, o arcaismo bancário que tomou conta da educação impede os avanços necessários para alçarmos um novo patamar, que inclui ampla garantia dos direitos culturais, da livre informação e expressão.

Em todos os grandes modelos e metodologias educacionais, o exercício das expressões artísticas e culturais têm se de revelado como um denominador comum. Nada mais lúdico, criativo e inspirador do que a cultura da convivência, inerente às atividades artísticas e culturais, seja ela uma visita ao museu, o aprendizado do teatro ou a análise crítica da mídia. Não podemos mais admitir que o nosso futuro seja dominado por uma educação burocrática, baseada numa estrutura funcional da ditadura militar, preparando sub-cidadãos, acomodados com o Estado-pai, incapazes de agir e participar da vida cultural e política.

Paulo Freire é o grande mestre inspirador de escolas e sistemas educacionais em todo o mundo. Sua pedagogia crítica, no entanto, não foi incorporada, além da apropriação indébita do discurso comum às nossas estruturas políticas, em nossa educação. Sua inspiração, no entanto, foi bem absorvida em escolas particulares que servem a elite. Meu filho estudo em uma dessas escolas e observo os avanços em relação à educação pública que eu tive, e que só piorou da ditadura pra cá.

Um novo projeto educacional precisa ser desenvolvido urgentemente no país. As políticas culturais não podem se abster a esse processo. As interações entre MinC e MEC foram insuficientes e fracassadas. Partiam do princípio da contribuição da cultura à educação. Avanços como a inserção de elementos e referências africanas e indígenas no processo de formação são interessantes, mas insuficientes para o tipo de desafio que temos pela frente.

A Internet, as redes culturais, a cultura colaborativa e a possibilidade de acesso ao conhecimento e exercício da expressão são elementos que não podem faltar ao cardápio educacional do país. As escolas precisam abrir suas portas para comunidades, deixando de ser prisões para transformar-se em equipamentos culturais, com projeções de filmes independentes, que abordem a complexidade humana, além dos mitos fabricados em Hollywood, peças de teatro e exposições, com programação das próprias comunidades e de outras, a partir de um sistema artesanal, simples e desburocratizado (quase tribal) de trocas e circulação de cultura. Enfim, precisa deixar de ser escola para se tornar ponto de cultura.

Grades curriculares deveriam ser queimadas em praça pública. O conhecimento precisa ser construído a partir do indivíduo e da comunidade para o mundo e não de Brasília para os quatro cantos do país. Isso sim é um dirigismo cultural que precisa ser superado por todos nós. Precisamos celebrar a capacidade de cada bairro, distrito, município, de cuidar da formação de suas crianças. A sociedade precisa se envolver com o processo de formação de seus indivíduos. Estado nenhum dará conta disso. O ditador já não dava, quanto mais este neoliberal em que nos atolamos.

A educação precisa ser uma responsabilidade de todos nós. E só será a partir do reconhecimento de sua dimensão cultural.

Tags:cultura, cultural, educação, formação, minc, POLÍTICA

Reuniões do Mercosul Cultural acontecem no Brasil

http://www.culturaemercado.com.br/politica/reunioes-mercosul-cultural-acontecem-brasil/

No contexto da Presidência Pro Tempore brasileira do Mercosul, o Ministério da Cultura do Brasil sediará uma série de reuniões setoriais da cultura neste mês de maio e em junho. No dia 5, os encontros começam com a 3ª Reunião da Comissão da Diversidade Cultural, em Brasília, da qual participam representantes dos países membros e associados, assim como representantes da sociedade civil. Mercosul cultural A reunião da Comissão da Diversidade Cultural tem como objetivo contribuir para os debates sobre a proteção e a promoção da diversidade cultural no âmbito regional, discutir as vias de participação social e a gestão colaborativa para potencializar a atuação conjunta do bloco, entre outros. Participam também representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Ministério da Educação (MEC) e Fundação Nacional do Índio (Funai), tendo em vista as interfaces sociais e a necessidade de aproximação entre as instâncias do Mercosul que lidam com esses temas. O Mercosul Cultural sediará outras sete reuniões durante os meses de maio e junho: a Segunda Reunião da Comissão de Artes, nos dias 12 e 13 de maio, no Rio de Janeiro; a Segunda Reunião da Comissão de Economia Criativa e Indústrias Culturais, nos dias 20 e 21 de maio, em Brasília; a 11ª Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural, entre os dias 27 e 30 de maio, em Jaguarão (RS); e o Painel de Experiências Nacionais sobre Circulação de Bens Culturais, que ocorrerá dia 15 de junho, também em Brasília. Paralelamente, também acontece a 25ª Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do bloco, nos dias 1º e 2 de junho, em Brasília. Nos dias 16 e 17 de junho, todas as propostas setoriais das reuniões técnicas serão debatidas na 40ª Reunião do Comitê Coordenador Regional, que ocorre também na capital. Os temas deliberados neste encontro serão discutidos na 38ª Reunião de Ministros da Cultura, que ocorrerá no dia 18 de junho em Brasília.

*Com informações do site do MinC Tags:brasília, cultura, mercosul, mercosul cultural, minc

Incubadora Cultura Viva

FONTE: http://www.cultura.gov.br
O Rio Grande do Sul irá ganhar, no próximo mês de maio, a primeira incubadora do país voltada ao público atendido pela Política Nacional de Cultura Viva (PNCV), como Pontos e Pontões de Cultura, coletivos culturais, juventude rural e mestres e mestras da cultura popular, entre outros.

A Incubadora Cultura Viva é um projeto conjunto entre o Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), localizada na cidade portuária de Rio Grande, no sul do estado.

“A Furg é gestora, desde 2010, de uma rede de Pontos de Cultura em 13 municípios do sul e centro-sul do estado. Há uma carência dos Pontos em relação a informações sobre prestação de contas, elaboração de projetos para arrecadação de recursos e até mesmo sobre como explorar a relação próxima com os países do Mercosul”, afirma o diretor de Arte e Cultura da Furg e coordenador da ação, Roberto Domingues Souza. “A incubadora visa capacitar nosso público, por meio de ações como cursos, circuitos, pesquisas, bolsas, prêmios e divulgação, sendo uma ferramenta para o desenvolvimento sociocultural do extremo sul do país”.

Para o diretor da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Alexandre Santini, a incubadora pode se tornar uma referência para as ações que envolvem as universidades na PNCV. “É uma iniciativa importantíssima, que será acompanhada de perto pela SCDC”, destaca. “É uma síntese de várias ações de fomento e articulação desenvolvidas no âmbito do Cultura Viva, envolvendo encontros, premiações e estímulo ao intercâmbio e à articulação em rede”.

Inicialmente, a Incubadora Cultura Viva trabalhará com quatro eixos de ação: formação, articulação, promoção e circulação. Na área de formação, será realizado edital para seleção de oito projetos, grupos, artistas ou coletivos culturais sem organização jurídica a serem incubados e capacitados nos princípios da PNCV e da economia criativa.

Também serão abertas 20 vagas para o curso de aperfeiçoamento Cultura Viva: Política e Ação Comunitária. Oferecido pela Furg, o curso prevê formação técnico-cultural com base na PNCV. Estão previstas, ainda, oficinas em áreas como artes visuais, música, audiovisual e artes cênicas bem como a realização de cursos de formação de jovens agentes da Cultura Viva e de elaboração, acompanhamento, supervisão e prestações de contas de projetos culturais, entre outros.

Na área de articulação, entre as atividades que serão realizadas pela incubadora, estão o estímulo à realização de eventos que potencializem a economia da cultura, tais como rodadas de negócios, conferências e jornadas, e promoção de projetos voltados às economias criativa e solidária.

Em promoção, serão realizados projetos para dar visibilidade a ações comunitárias de mestres tradicionais, indígenas e quilombolas, entre outros. Também serão reconhecidas iniciativas de base comunitária protagonizada por jovens. Já em circulação, a incubadora pretende estimular a criação de circuitos artísticos e potencializar o compartilhamento de espaços públicos para produção, circulação e fruição das produções culturais locais e regionais.

Prêmios e bolsas

A incubadora também lançará edital para dois prêmios e dois programas de bolsas. A Bolsa Agente Cultura Viva selecionará 20 jovens que atuarão nos Pontos de Cultura como protagonistas de ações culturais de base comunitária. Também será criada a Bolsa de Reconhecimento dos Mestres Tradicionais, que reconhecerá os saberes tradicionais por meio da valorização de dois mestres e da promoção e compartilhamento de seus saberes no ambiente universitário.

Serão lançados, ainda, os prêmios Residência Artística, que promoverá o trabalho de dois artistas nas comunidades localizadas no território de atuação da Incubadora Cultura Viva, por meio de ações de arte e educação; e Audiovisual, que apoiará a realização de dois documentários feitos pelos Pontos de Cultura. O tema norteador será a “zona rural”, com seus amplos aspectos geográficos, culinários, históricos, artísticos e sociais.

Informações sobre a incubadora podem ser obtidas por meio do site www.cultura.furg.br ou do e-mail [email protected]